(21) 96755-2523

Governo zera imposto para importação de carnes, farinha de trigo e outros


Publicado em 13/05/2022

 As alíquotas de importação foram zeradas para sete categorias de produtos alimentícios. A decisão foi tomada pelo comitê-executivo de   Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Gecex/Camex), do Ministério da Economia, e anunciada na última quarta-feira, dia 10, e vale até o dia 31 de dezembro deste ano. De acordo com o secretário- executivo da pasta, Marcelo   Guaranys, o objetivo é conter o avanço da inflação no país. "Sabemos que essas medidas não revertem a inflação, mas aumentam a contestabilidade dos mercados. Então, o produto que está começando a crescer muito de preço, diante da possibilidade maior de  importação, os empresários   pensam duas vezes antes de aumentar tanto o produto. Essa é a nossa lógica com esse   instrumento", disse.


Os produtos alimentícios que tiveram a alíquota de importação totalmente  zeradas são: carnes desossadas de bovino, congeladas (imposto era de 10,8%);   pedaços de miudezas, comes-tíveis de galos/galinhas, conge-lados (imposto era de 9%); farinha de trigo (imposto era de 10,8%); outros trigos e misturas de trigo com centeio, exceto para semeadura (imposto era de 9%); bolachas e biscoitos, adicionados de edulcorante (imposto era de 16,2%); outros produtos de padaria, pastelaria, indústria de biscoitos, etc. (imposto era de 16,2%) e milho em grão, exceto para semea dura (imposto era de 7,2%).