(21) 96755-2523

Confira as novas restrições adotadas no município do Rio em combate a Covid-19


Publicado em 04/03/2021

 O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse hoje, dia 4, que as novas medidas restritivas adotadas pela administração municipal são uma forma preventiva de combater a Covid-19. Ele afirmou que não houve registro de aumento de casos, nem de óbitos, mas foi identificada uma tendência de alta nos atendimentos na rede de urgência e de emergência de pessoas com síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave, que antecedem a notificação de um caso de covid-19. 


A Prefeitura do Rio publicou um decreto com novas medidas de isolamento social para combater a pandemia. Entre elas, figura a proibição de permanência de pessoas em vias e áreas públicas das 23h às 5h. Também foi determinado que bares, lanchonetes e restaurantes devem fechar, para atendimento presencial, a partir das 17h. Esses estabelecimentos só poderão funcionar das 6h às 17h, podendo atender a um número máximo de clientes correspondente a 40% de sua capacidade instalada.


Paes afirmou que quatro fatores serviram de base para a adoção das medidas que entram em vigor hoje às 17 horas e vão valer até o fim da próxima quinta-feira, dia 11.  Além dos dados científicos sobre o aumento de atendimentos nas unidades de saúde de pessoas com sintomas da doença, foi considerado o agravamento do cenário que vem ocorrendo no país e, especialmente no entorno, com os estados de Minas Gerais e São Paulo. 


Outro fator levado em consideração foi a nota técnica do Boletim do Observatório Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), divulgado na terça-feira (2), alertando de que, pela primeira vez desde o início da pandemia, foi verificado em todo o país o agravamento simultâneo de diversos indicadores, como o crescimento de casos de covid-19 e óbitos, a manutenção de níveis altos de incidência de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), a alta positividade de testes e a sobrecarga dos hospitais.