(21) 96755-2523

Decreto proíbe corrida de cachorro no Estado do Rio


Publicado em 21/01/2021

 O decreto 47.453, publicado na última terça-feira, dia 19, no Diário Oficial do Estado, proíbe corridas de cachorros no Estado do Rio de Janeiro. O documento foi assinado pelo governador em exercício Cláudio Castro como uma forma de evitar maus-tratos contra animais, principalmente cães da raça galgo, os mais usados para este tipo de atividade.


A decisão foi tomada após reportagem de TV mostrar que a prática está chegando ao Brasil, através do Rio Grande do Sul, após ter sido proibida na Argentina e no Uruguai. “Não vamos   tolerar este tipo de agressão travestida de esporte no Rio de Janeiro. Os animais são forçados a correr, recebem drogas para aumentar o rendimento e são descartados quando ficam mais velhos ou se machucam. O governo deve deixar claro que isto não é aceitável, e a medida está inserida em nosso projeto de fazer do Rio de Janeiro uma referência mundial na instituição de políticas públicas em defesa dos animais”, afirmou o governador em exercício Cláudio Castro.

Aprovada recentemente no Congresso Federal, a Lei 14.064/2020 alterou a Lei de Crimes Ambientais (9.605/1998) aumentando a pena para quem “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar” cães e gatos, passando dos antigos três meses a um ano de detenção para um período de dois a cinco anos de prisão. 

Segundo o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-RJ), além de  estarem sujeitos a inúmeras  lesões, os animais, geralmente, são submetidos a diversos tipos de maus-tratos, como confinamento em recintos estreitos por mais de 20 horas diá-rias e uso de drogas estimulantes que podem levar ao óbito. O decreto deixa claro que a proibição vale para todo o tipo de corrida com cães, independentemente da raça do animal, havendo aposta ou não.